Muhr-Niepoort

Desde o primeiro dia em que vi as vinhas do Spitzerberg na zona de Carnuntum que me apaixonei pela região e pela casta blaufraenkisch. A zona do Spitzerberg teve no passado uma grande importância qualitativa. Por razões várias foi ficando esquecida, estando hoje quase a desaparecer (já teve mais de 2000 hectares de vinha, quando hoje são menos de 300 hectares).

A casta Blaufraenkisch é para mim uma das castas tintas mais interessantes. É a casta que não sendo parecida com o Pinot Noir consegue chegar perto em termos de fineza e elegância tendo uma personalidade muito própria. O meu sonho desde que conheci o Spitzerberg foi de procurar fazer um vinho fino e elegante, mas com boa estrutura, com boa acidez e tipicidade da região (embora a maior parte dos vinhos da zona sejam quase sempre muito escuros, alcoólicos, muito frutados e pesados).

Vinhos do Produtor